sábado, 26 de março de 2011

Resultados Nada Animadores no IDESP

De Campos & Bravo

EM ÍNDICE QUE VAI ATÉ 10, ENSINO MÉDIO EM SP TIRA 1,81

Os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação de São Paulo (Idesp), divulgados nesta sexta-feira pelo governo estadual, apontam que o desempenho dos alunos do Ensino Médio e do 9º ano do Ensino Fundamental caiu em 2010 em relação ao ano anterior. A pesquisa realizada anualmente dá notas de zero a 10 para avaliar o rendimento escolar dos alunos da rede pública do Estado.

No 9º ano do Ensino Fundamental, o Idesp recuou de 2,84, em 2009, para 2,52 em 2010 por causa da queda das avaliações de Matemática (de 251,5 em 2009 para 243,3 em 2010) e de Língua Portuguesa (de 236,3 para 229,2 pontos). No Ensino Médio, o recuo do Idesp no mesmo período foi de 1,98 para 1,81 devido à diminuição em Língua Portuguesa de 274,6 pontos para 265,7 e à oscilação em Matemática de 269,4 para 269,2 pontos.

Apenas os alunos avaliados do 5º ano do Ensino Fundamental apresentaram melhora nos indicadores. A nota subiu de 3,86 para 3,96 em relação a 2009, refletindo o crescimento de 201,4 pontos na escala de proficiência para 204,6 em Matemática. O resultado em Língua Portuguesa se manteve em 190,4 pontos.

O Idesp combina os resultados de Matemática e Língua Portuguesa do Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp) com dados de aprovação, reprovação ou abandono nas escolas públicas estaduais. Os resultados garantem o pagamento de bônus aos professores que, se alcançarem 100% das metas, recebem 20% da soma da remuneração mensal total durante o ano anterior.

Níveis de desempenho

A distribuição dos alunos pelos níveis de desempenho apresentou melhoria na 5ª série do Ensino Fundamental de 2009 para 2010. Os estudantes com desempenho insuficiente passaram de 20,9%, em 2009, para 19,8% em Língua Portuguesa, e de 30,3% para 29% em Matemática. Aqueles com desempenho suficiente passaram de 68,8% para 70,4% em Língua Portuguesa e de 63,3% para 62,7% em Matemática. Os estudantes que apresentaram nível avançado passaram de 10,3% para 9,8% em Língua Portuguesa, e de 6,3% para 8,2% em Matemática.

Na 9ª série do Ensino Fundamental, os alunos com desempenho insuficiente passaram de 22,5% para 28,4% em Língua Portuguesa, e de 27,6% para 34,9% em Matemática. Os que mostraram desempenho suficiente passaram de 75,5% para 69,8% em Língua Portuguesa, e de 71,2% para 64,3% em Matemática. Já aqueles que corresponderam ao nível avançado passaram de 2,3% para 1,7% em Língua Portuguesa, e de 1,2% para 0,8% em Matemática.

Já na 3ª série do Ensino Médio, os alunos com desempenho insuficiente passaram de 29,5% para 37,9% em Língua Portuguesa, e de 58,3% para 57,7% em Matemática. Os estudantes com resultado suficiente passaram de 69,8% para 61,6% em Língua Portuguesa, e de 41,2% para 42% em Matemática. Os avançados oscilaram de 0,7% para 0,6% em Língua Portuguesa, e de 0,5% para 0,3%.

http://www.terra.com.br/portal/

***************************************

De Campos & Bravo

TRIPLICA Nº DE ESCOLAS DO ESTADO QUE NÃO BATEM META DO GOVERNO NO SARESP
O número de escolas da rede estadual que não vão receber o bônus por resultado neste ano triplicou. De acordo com dados da Secretaria da Educação do Estado, 1.474 unidades escolares - 29,1% da rede - não atingiram as metas da pasta e, portanto, não serão contempladas com o bônus. Em 2010, esse número foi de 510 escolas - ou 9,9% do total de colégios.

O bônus concedido aos servidores da rede é proporcional ao resultado da escola no Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp), prova anual que avalia todas as escolas da rede estadual nos 3.º, 5.º, 7.º e 9.º anos do ensino fundamental e também no 3.º ano do ensino médio, medindo, basicamente, os conhecimentos em língua portuguesa, matemática e ciências.

Com as notas do Saresp, é calculado o Índice de Desenvolvimento da Educação de São Paulo (Idesp), que une o desempenho em matemática e língua portuguesa, além de dados do fluxo escolar. O índice vai de 0 a 10 e serve como base para o bônus salarial aos funcionários da rede.

O cálculo leva em conta o cumprimento das metas de desempenho definidas pela rede para cada escola. Por exemplo: as que atingem 100% das metas recebem um pagamento de 2,4 salários médios. Além disso, é preciso ter comparecido às aulas em pelo menos dois terços do ano.

A secretaria afirma que os dados ainda serão analisados minuciosamente e deve divulgar a relação das escolas e dos índices de desempenho nos próximos dias - o bônus deve ser pago até o dia 31 deste mês. A pasta, porém, admite que a grande rotatividade de professores pode ter interferido na queda do número de escolas que receberão a gratificação.

"Precisamos de mais professores efetivos, que criem vínculo com a escola e os alunos", afirmou ao Estado o secretário de Educação, Herman Voorwald. "A atual gestão está investindo nisso e é por essa razão que o governador (Geraldo Alckmin, PSDB) anunciou a contratação de 25 mil docentes."

Um comentário:

  1. Isso graças ao nosso ex governador José Serra

    ResponderExcluir